Leitor de dedo lê para você em voz alta

Pesquisadores do MIT, nos Estados Unidos, apresentaram o protótipo de um equipamento capaz de ler e vocalizar um texto em tempo real.

Mulheres são mais agressivas que homens em relacionamentos

As mulheres são mais susceptíveis de serem agressivas verbal e fisicamente contra seus parceiros do que, na mesma situação, os homens o são contra suas parceiras.

Componente da maconha reduz crescimento de tumores

O principal ingrediente psicoativo da maconha (Cannabis sativa) reduz o ritmo de crescimento des tumores de câncer.

Como cuidar dos olhos e proteger sua visão?

Fala-se da beleza e dos muitos atributos poéticos deles, mas nem todos se lembram dos cuidados que se deve ter com os olhos.

Nem todas as pessoas gostam de ser elogiadas

Parece ser natural aplaudir ou incentivar alguém que fez algo digno de nota. Contudo, isso não é nada natural para pessoas que apresentam uma autoestima muito baixa.

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

O uso da internet na sala de aula no Brasil aumenta

Imagem: Portal MEC
De acordo com a pesquisa a quarta edição da pesquisa TIC Educação que ocorreu entre os meses de setembro e dezembro de 2013, professores e alunos brasileiros utilizam cada vez mais computador e internet em suas atividades em sala de aula.
Foram entrevistados, presencialmente, 939 diretores, 870 coordenadores pedagógicos, 1.987 professores e 9.657 alunos, de 994 escolas públicas e privadas localizadas em áreas urbanas de todas as regiões do território nacional.
Nas escolas públicas, 46% dos professores disseram utilizar computador e internet em atividades com os alunos na sala de aula - um aumento de 10 pontos percentuais em relação ao ano de 2012.
"Esse dado mostra como o professor percebe a importância do uso das novas tecnologias com os alunos, pois parte deles leva seu computador pessoal para a sala de aula", disse Alexandre Barbosa, gerente do CETIC.br (Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação).
Ainda que tenha aumentado o uso do computador e da internet na sala de aula nas atividades com os alunos, o ambiente mais comum para tal uso nas escolas públicas continua sendo o laboratório de informática (76%).
Outro destaque está no crescimento do uso de tablets nas escolas públicas. Enquanto em 2012 apenas 2% delas contavam com esse tipo de equipamento, em 2013 esse número chegou a 11%.
Entre os professores, o acesso à internet por meio de dispositivos móveis cresceu 14 pontos percentuais em 2013: 36% dos professores disseram acessar a rede por meio de telefone celular, sendo que no ano anterior este número era de 22%.
A pesquisa acrescentou novos indicadores que mostram que 96% dos professores de escolas públicas usam recursos educacionais disponíveis na internet para preparar aulas ou atividades com os alunos.
Os tipos de recursos mais utilizados são imagens, figuras, ilustrações ou fotos (84%), textos (83%), questões de prova (73%) e vídeos (74%). O uso de jogos chega a 42%, apresentações prontas, 41%, e programas e softwares educacionais, 39%.
Fonte: InovaçãoTecnológica

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Chuva de meteoros visível no Hemisfério Sul

Chuva de meteoros atinge seu máximo nesta noite. Foto: AstroPics.com, Wally Pacholka / AP
Nesta madrugada, de terça para quarta-feira (30), uma chuva de meteoros visível a partir do Hemisfério Sul atingiu seu pico. Trata-se da Delta Aquarídeos do Sul, que começou a ser visível em 21 de julho e se estende até o dia 23 de agosto.
A Sociedade Americana de Meteoros estimava que os meteoros da Delta Aquarídeos atingiriam a atmosfera a uma velocidade de 145 mil km/h. A expectativa era de que pudessem ser vistos de 15 a 20 meteoros por hora, em uma condição de céu limpo e longe da claridade dos grandes centros urbanos.
Este ano, ainda segundo a instituição, as condições lunares para observação do fenômeno são extremamente favoráveis. Neste pico, a lua deve se pôr bem antes da meia-noite, portanto sua luz não deve interferir na observação dos meteoros. Outra chuva de meteoros, a Alfa Capricornídeos, também deve ser visível nesta noite.
Com informações de g1/cienciasesaude

terça-feira, 29 de julho de 2014

Aumenta a expectativa de vida dos brasileiros em 11,2 anos

Imagem do Google
A expectativa de vida no Brasil aumentou 17,9% entre 1980 e 2013, passando de 62,7 para 73,9 anos, um aumento real de 11,2 anos.
O avanço foi apontado no Relatório de Desenvolvimento Humano 2014 divulgado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).
Segundo o ministro da Saúde, Arthur Chioro, o crescimento foi possível em razão das medidas de combate à desnutrição, redução da mortalidade materna e infantil, ampliação do acesso a vacinas e medicamentos gratuitos, melhoria do atendimento às mães e bebês, enfrentamento das doenças crônico-degenerativas e das chamadas mortes violentas, entre outras ações na área de atenção básica e urgência e emergência.
O relatório colocou o Brasil na 79ª posição do ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) entre 187 países, com um valor de 0,744 (categoria de Alto Desenvolvimento Humano). Entre 1980 e 2013, o valor do IDH do Brasil aumentou 36,4%. O índice está acima da média de 0,735 para os países do grupo de Alto Desenvolvimento Humano e acima da média de 0,740 para os países da América Latina e Caribe.
Também houve crescimento na expectativa da vida nos últimos anos: em 2010, a estimativa era de 73,1 anos, já no ano passado passou para 73,9 anos.
Os dados hoje podem ser ainda melhores, já que o PNUD utilizou dados de uma projeção de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Caso considerasse as estatísticas de 2013 - já disponibilizados pelo IBGE - a esperança de vida ao nascer seria de 74,8 anos. Se fossem considerados esses números a outros dados defasados, como o de escolaridade, o país sairia da 79ª posição para a 67ª.
Fonte: Diário da Saúde

Órbita de galáxias contradiz modelo cosmológico

Assim como as estrelas se organizam em discos galácticos, as pequenas galáxias orbitam em planos ao redor das galáxias maiores. [Imagem: NASA/ACS]
Uma análise de cerca de 380 grandes galáxias mostrou que as pequenas galáxias satélites que as rodeiam organizam-se em discos girando ao redor das galáxias líderes.
Isto contradiz o modelo cosmológico atual, que afirma que as galáxias satélites deveriam seguir órbitas aleatórias.
O Universo possui um número incalculável de galáxias - "bilhões delas", por assim dizer. Algumas são imensas, como a nossa Via Láctea, contendo centenas de bilhões de estrelas.
Mas a maioria das galáxias que podemos observar são "galáxias anãs", muito menores do que a Via Láctea, e contendo alguns poucos bilhões de estrelas.
Seguindo a Modelo Cosmológico Padrão, as galáxias-anãs deveriam se mover em todas as direções. Mas não é isso que os dados mostram.
Os astrônomos já haviam percebido que as pequenas galáxias que circundam a Via Láctea e nossa vizinha Andrômeda não seguem padrões aleatórios. Mas, como isso contradiz a teoria mais aceita, os cientistas assumiram que a Via Láctea e Andrômeda eram uma exceção à regra
Contudo, com a observação de 380 grandes galáxias, agora não está dando mais para fugir do problema.
"Este é um grande problema que contradiz nosso modelo cosmológico padrão. Ele desafia nossa compreensão de como o Universo funciona, incluindo a natureza da matéria escura," explicou o professor Geraint Lewis, da Universidade de Sidney, na Austrália.
"Para todo lado que olhamos, vemos esse movimento estranhamente coordenado das galáxias anãs. Disto podemos extrapolar que esses planos circulares são universais, vistos em cerca de 50 por cento das galáxias," completou o pesquisador.
Pelo modelo padrão, a formação das galáxias anãs está conectada aos filamentos de matéria escura que se acredita permear todo o Universo.
Mas então seria necessário explicar por que esses grandes enxames de galáxias anãs circulam ao redor das suas galáxias principais em discos que são muito mais finos do que os filamentos que lhes teriam dado origem.
Segundo os pesquisadores, a descoberta pode significar que todas as simulações cósmicas - e as teorias que lhes dão embasamento - precisam ser completamente revistas.
Para eles, tudo parece indicar que o modelo padrão fornece uma representação adequada das observações em escalas maiores, "mas não estamos enxergando algo fundamental em escalas menores".
Fonte: Inovação Tecnológica

sábado, 26 de julho de 2014

Três novidades em telas que você vai querer saber

 Parede interativa
[Imagem: KAIST]
Esta é a TransWall, uma tela semitransparente sensível ao toque dos dois lados.
Seus criadores, do Instituto KAIST, na Coreia do Sul, afirmam que ela é ideal para que os compradores dos shoppings centers encontrem itens interessantes para comprar...
"Através das vitrines, os compradores podem ver os produtos expostos, mas podem ter dificuldades apenas olhando. Com o TransWall, no entanto, as vitrines podem se tornar mais divertidas e realistas do que nunca," afirmam eles, eventualmente pensando no cliente interagindo com um vendedor sem precisar entrar na loja.
Isso porque, além da sensibilidade ao toque, a tela possui um transdutor superficial que vibra, podendo fornecer um feedback tátil ao usuário.
"O conceito da TransWall permite às pessoas ver, ouvir, ou mesmo tocar umas às outras através da parede, enquanto desfrutam de jogos e comunicação interpessoal. A TransWall pode ser instalada no interior de edifícios, como centros comerciais, museus e parques temáticos, para que as pessoas tenham a oportunidade de colaborar mesmo com estranhos de uma forma natural," propõe o professor Woohun Lee, idealizador da tecnologia.
A tela é interessante, mas parece que os pesquisadores precisam ser mais criativos na busca de novos usos para suas invenções.
Tela de enrolar
[Imagem: LG Display]
Esta tela transparente da LG é menor - 18 polegadas - e não tem sensibilidade ao toque dos dois lados.
Mas a grande novidade da tecnologia é que ela pode ser enrolada em um tubo de apenas 3 centímetros de raio "sem que a função da tela de 1.200 x 810 pixels seja afetada", segundo a empresa.
Embora telas de enrolar sejam esperadas há muito tempo, a LG parece ter chegado a uma solução interessante usando um filme de poliimida de grande densidade, em substituição aos plásticos ou vidros flexíveis normalmente utilizados.
"Estamos confiantes de que, em 2017, vamos conseguir desenvolver uma tela de OLED ultra-HD flexível e transparente de mais de 60 polegadas, que terá uma transmitância superior a 40% e um raio de curvatura de 100R," afirmou In-Byung Kang, chefe do centro de P&D da LG Display.
Computadores de vidro
[Imagem: Optics Express]
A equipe do Dr. Raman Kashyap, da Universidade Politécnica de Montreal, no Canadá, colocou suas fichas no famoso Gorilla Glass®, da empresa Corning, usado em várias marcas de celulares inteligentes e tablets.
Kashyap criou uma técnica que permite a inserção de várias camadas sucessivas de sensores sobre o vidro.
Assim, segundo o pesquisador, além de detectar o toque de seus dedos, a tela poderá - no futuro - ser capaz de detectar sua temperatura, medir o nível de açúcar no seu sangue e até analisar seu DNA.
"Neste momento nós estamos abrindo a Caixa de Pandora. Cabe às pessoas inventarem novos usos," entusiasma-se ele.
Além de sensores biomédicos, a tecnologia poderá permitir fabricar dispositivos mais complexos, como circuitos incorporados em qualquer superfície de vidro, como janelas ou tampos de mesa, eventualmente criando as telas transparentes vistas em filmes como Avatar e Homem de Ferro.
Tudo isso graças a uma técnica para gravar componentes fotônicos a laser diretamente no vidro. Esses componentes, chamados guias de onda, funcionam como canais para guiar a luz, como os fios guiam os elétrons. A técnica é bem conhecida, mas esta foi a primeira vez que ela foi usada para criar componentes em um produto comercial como o Gorilla Glass.
A transformação da tecnologia em produtos, porém, demandará ainda muitos desenvolvimentos adicionais e bastante tempo, já que, essencialmente, o caminho a percorrer é o mesmo dos processadores fotônicos.
Fonte: Inovação Tecnológica

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Como cuidar dos olhos e proteger sua visão?

movimento dos olhos pode indicar doenças neurológicas e até indicar um risco de AVC.[Imagem: University of Southern California]
Fala-se da beleza e dos muitos atributos poéticos deles, mas nem todos se lembram dos cuidados que se deve ter com os olhos.
"Normalmente, as pessoas recorrem ao oftalmologista quando estão enxergando mal ou quando ocorre uma enfermidade pontual e isso não deve ser assim. Existem complicações que surgem em virtude de hábitos diários que podem ser evitados," alerta o oftalmologista Mizael Augusto.
Confira algumas dicas que o profissional dá para prevenir e manter a saúde dos olhos.
Coçar os olhos com muita força faz mal
"É prejudicial à saúde dos olhos coçar com força, pode causar uma série de doenças, uma delas é na córnea, chamada ceratocone, que provoca uma mudança negativa na curvatura da córnea".
Colírios não devem ser utilizados sem prescrição médica
"O uso de colírios, incluindo os chamados adstringentes, só deve ser feito com recomendação médica. Tem colírio que as pessoas usam para limpar a vista e acham que não tem problema nenhum, existem colírios que podem até perfurar a córnea ou causar glaucoma".
Realizar exames oftalmológicos
"O exame de prevenção é a única maneira de evitar os agravos de uma possível doença. Existem pessoas que costumam ir ao médico ocular só para saber o grau dos óculos, e não fazem um acompanhamento. Aí, quando recorrem ao oftalmologista, pode ser tarde e já ter afetado a visão".
Uso interrupto do computador pode causar vista cansada
"O uso ininterrupto do computador ou da televisão pode causar coceira, cansaço, lacrimejamento e dificuldade para focalizar imagens. A visão é regulada por um músculo. Se a pessoa fica muito tempo usando a visão de perto ele fica trabalhando, contraído. Por isso, o recomendado é ter intervalos de uma em uma hora para descansar os olhos, além de manter uma distância de, pelo menos, 50 centímetros do monitor".
Acompanhamento e consultas periódicas
"Problemas como miopia, astigmatismo e hipermetropia aparecem espontaneamente e prejudicam a visão. Esses erros de refração devem ser corrigidos adequadamente, porque a não correção pode causar cansaço visual, dor de cabeça e mal-estar."
Fonte: Diário da Saúde

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Gordura que protege o coração?

A fibrose cardíaca foi inibida em camundongos tratados com 18-HEPE (direita), em comparação com animais de controle (esquerda). [Imagem: Endo et al. - 2014]
Várias são as pesquisas apontando que gordura em demasia é ruim para o coração, entretanto o tipo certo de gordura pode manter o coração saudável.
Um experimento realizado por Jin Endo, dos Laboratórios Riken (Japão), publicadoThe Journal of Experimental Medicine, mostra exatamente isso.
Outros estudos anteriores já haviam mostrado que ácidos graxos insaturados ingeridos pela dieta - como o ácido eicosapentaenóico (EPA) - podem nos proteger contra doenças cardiovasculares.
As informações vêm na esteira da descoberta de que o corpo humano na verdade possui vários tipos de tecidos adiposos, ou gorduras: são elas gordura branca, que pode se acumular e levar à obesidade, a gordura marrom, ou gordura boa e a gordura bege.
Contudo, ainda não se conhece bem o mecanismo de ação e os metabólitos da gordura responsáveis por seus efeitos protetores.
Jin Endo usou animais geneticamente modificados para produzir sua própria gordura EPA, o que lhes dá uma melhor função cardíaca e maior resistência contra doenças cardiovasculares.
Ele descobriu que a proteção cardiovascular é fornecida por um metabólito específico ao rastrear esses efeitos, chamado ácido 18-hidroxieicosapentaenóico (18 HEPE).
O 18-HEPE foi produzido pelas células do sistema imunológico dos animais, chamadas macrófagos, e resultaram na diminuição dos efeitos induzidos de inflamações e fibrose no coração.
Para confirmar seus efeitos cardioprotetores, foi realizada a aplicação do 18 HEPE em animais normais.
Embora experimentos em seres humanos ainda não tenham sido realizados, a equipe conclui que uma dieta enriquecida com 18 HEPE pode ajudar a prevenir a insuficiência cardíaca em pacientes com doenças cardiovasculares.
Com informações de Diário da Saúde

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Componente da maconha reduz crescimento de tumores

Apesar dos preconceitos contra a Cannabis sativa, um estudo após o outro comprova a riqueza de efeitos medicinais que se pode obter dos compostos da maconha.[Imagem: USFWS]
O principal ingrediente psicoativo da maconha (Cannabis sativa) reduz o ritmo de crescimento des tumores de câncer.
Uma nova pesquisa revelou a existência de mecanismos de sinalização até agora desconhecidos, que são responsáveis pela capacidade da droga de reduzir o crescimento dos tumores.
Devido aos inúmeros preconceitos contra a planta, os pesquisadores afirmam esperar desenvolver um equivalente sintético da droga com propriedades anticancerígenas.
A equipe usou amostras de células de câncer de mama humano para induzir tumores em camundongos. Eles, então, trataram os tumores com doses do composto THC (tetrahidrocanabinol) extraído da maconha.
O THC é o mesmo componente já usado com sucesso em experimentos contra a esquizofrenia e a dor crônica.
"Nós mostramos que esses efeitos são mediados pela interação conjunta do CB2 e do GPR55, dois membros da família dos receptores canabinoides. Nossos resultados ajudam a explicar alguns dos efeitos bem conhecidos, mas ainda mal compreendidos, do THC sobre o crescimento de tumores," disse o Dr. Peter McCormick (Universidade East Anglia), que fez o estudo em conjunto com colegas da Universidade Complutense de Madrid.
"Ao identificar os receptores envolvidos, nós demos um passo importante para o futuro desenvolvimento de drogas terapêuticas que possam tirar proveito das interações que descobrimos para reduzir o crescimento de tumores," completou ele.
Fonte: Diário da Saúde

domingo, 20 de julho de 2014

Mulheres são mais agressivas que homens em relacionamentos

Imagem colhida no Google
As mulheres são mais susceptíveis de serem agressivas verbal e fisicamente contra seus parceiros do que, na mesma situação, os homens o são contra suas parceiras.
A conclusão é de um estudo envolvendo pesquisadores das universidades de Cumbrias e Central Lancashire (Reino Unido), sob o comando da Dra. Elizabeth Bates.
Embora os resultados ainda causem estranheza, vários estudos, inclusive no Brasil, já haviam demonstrado que as mulheres praticam mais violência doméstica do que os homens.
A obtenção de resultados semelhantes em locais cultural e economicamente muito diversos ao redor do mundo está levando os pesquisadores a rever suas teorias e interpretações da violência doméstica.
Esta nova análise mostrou que as mulheres são mais propensas a serem fisicamente agressivas contra seus parceiros do que os homens.
Os mesmo dados mostram que, nos contatos sociais em geral, fora dos relacionamentos, os homens são mais propensos a ser fisicamente agressivos contra outros homens do que as mulheres o são contra outras mulheres.
Um dos resultados marcantes do novo estudo é que as mulheres exercem níveis significativamente mais elevados de comportamento controlador em relação aos parceiros do que os homens em relação às parceiras.
Quando essa tentativa de controle falha, as mulheres tendem à agressão física em um nível muito maior do que os homens igualmente controladores.
"Este foi um resultado interessante. Estudos anteriores tentaram explicar a violência masculina contra as mulheres como resultado de valores patriarcais, que motivam os homens a procurar controlar o comportamento das mulheres, usando de violência se necessário," comenta a Dra. Elizabeth.
"Este estudo revelou que as mulheres demonstram um maior desejo de controlar os seus parceiros e são mais propensas a usar a agressão física do que os homens. Isto sugere que a violência doméstica não pode ser motivada por valores patriarcais e precisa ser estudada no contexto de outras formas de agressão, que têm implicações potenciais para intervenções," avalia ela.
O estudo foi apresentado durante o simpósio "A Evolução da Violência por Parceiros Íntimos - Pesquisa e Prática", realizado pela Sociedade Psicológica Britânica.
Entre os vários estudos apresentados estavam, ainda, experiências de vitimização masculina por suas parceiras íntimas (Louise Dixon - Universidade de Birmingham) e razões para o envolvimento das mulheres em conflitos dentro e fora dos relacionamentos (Abi Thornton - Universidade de Bolton).
Fonte: Diário da Saúde

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Matemática torna internet até 10 vezes mais rápida

Imagem do Google
Equações matemáticas prometem tornar as comunicações pela internet mais rápidas sem precisar alterar nenhuma infraestrutura.
Uma equipe de pesquisadores da Dinamarca e dos EUA idealizou uma nova técnica que substitui o padrão atual de transmissão de dados pela rede.
Em testes com equipamentos reais, a taxa de transferência de dados chegou a ser 10 vezes maior.
No caso de um vídeo, o arquivo foi baixado cinco vezes mais rápido do que nas melhores condições de rede atuais e sem nenhuma interrupção - para comparação, a transmissão com a tecnologia atual travou 13 vezes, precisando ser reiniciada automaticamente pelo protocolo de troca de dados.
"E esta tecnologia pode ser usada em comunicações via satélite, telefonia e internet móvel e comunicação regular pela internet a partir de computadores," afirma Frank Fitzek, da Universidade Aalborg, na Dinamarca, um dos idealizadores da nova técnica.
A transmissão de dados pela internet é feita por meio de "pacotes". O arquivo é quebrado em pequenas partes - os pacotes - que são enviados em sequência, podendo trilhar rotas separadas até o destino, onde o arquivo original é remontado.
É claro que ocorrem muitos erros na transmissão, o que significa que é necessário retransmitir vários pacotes várias vezes, fazendo com que a transmissão demore mais.
Os pesquisadores superaram esse problema usando um tipo especial de codificação que utiliza a matemática para armazenar e enviar o sinal de uma maneira diferente.
"Com os sistemas atuais, nós enviamos o pacote 1, o pacote 2, o pacote 3 e assim por diante. Nós substituímos isso por uma equação matemática. Nós não enviamos pacotes. Nós enviamos uma equação matemática," explica Fitzek.
A grande vantagem é que os erros não exigem que um pacote seja enviado novamente - a equação matemática reconstrói o dado que falta a partir dos dados anteriores e daqueles que chegam imediatamente a seguir.
"Você pode comparar [o mecanismo] com o tráfego de carros. Agora podemos fazer tudo funcionar sem sinais vermelhos. Podemos fazer os carros passarem por um cruzamento vindos de todas as direções, sem terem de parar uns para os outros. Isso significa que o tráfego flui muito mais rápido," acrescenta o pesquisador.
A equipe patenteou a tecnologia, que eles batizaram de RNLC (Random Linear Network Coding - codificação de rede linear aleatória).
Eles também já fundaram uma empresa, chamada Steinwurf, para licenciar sua tecnologia proprietária para os fabricantes de equipamentos.
Segundo o grupo, sua empresa emergente já está "em negociações secretas com fabricantes de hardware que trarão benefícios para os consumidores".
Fonte: Inovação Tecnológica