Administrador do Blog Prof. Paulo Robson

Fique a vontade para enviar suas sugestões e críticas para contato@professorpaulorobson.com.br ou contacte o professor pelas redes sociais - disponíveis no link CONTATOS

Ciência e Tecnologia

O que há de novidade em Ciência e Tecnologia pelo Brasil e pelo mundo, você encontra aqui.

Questões de Física do ENEM

Aqui você vai encontrar várias questões de Física e algumas de Biologia das edições anteriores da prova com direito ao gabarito e comentário. Excelente espaço para estudar.

Curiosidades Gerais

Várias curiosidades físicas, matemáticas e uma enormidade de informções que talvez não soubesse você encontra aqui.

Notícias de Altaneira

Informações sobre Educação, Cultura e Variedades na cidades de Altaneira-Ce, nesse espaço.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Gabarito Oficial Prova de Física da Escola Santa Tereza - 3º ano - 2º Período

Abaixo, o gabarito oficial da prova de física do segundo período da Escola Santa Tereza.

As notas referentes ao 2º período divulgarei na próxima segunda-feira, 29/06/15.

01 - E

02 - D

03 - A

04 - B

05 - D

06 - A

07 - B

08 - A

09 - E

10 - C

Dúvidas ou comentários a respeito: contato@professorpaulorobson.com.br

Abraço e boas férias.

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Quais doenças você pode evitar por meio da vacinação?

Imagem do Google
A primeira campanha de vacinação em massa feita no Brasil causou muita controvérsia.
Isto foi há 100 anos, quando Oswaldo Cruz, fundador da saúde pública no país, lançou a campanha para controlar a varíola.
Hoje, o Brasil é referência mundial em vacinação e o Sistema Único de Saúde (SUS) garante à população brasileira acesso gratuito a todas as vacinas recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS).
Atualmente, são disponibilizadas 17 vacinas pela rede pública de saúde, para combater mais de 20 doenças, em diversas faixas etárias. Há ainda outras 10 vacinas especiais para grupos em condições clínicas específicas, como portadores de HIV, disponíveis nos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE).
Apesar da maioria das pessoas acreditar que a vacina é somente para crianças, é importante manter a carteira de vacinação em dia em todas as idades, para evitar o retorno de doenças já erradicadas.
Os adultos devem ficar atentos à atualização da caderneta em relação a quatro tipos diferentes de vacinas contra a hepatite B, febre amarela, difteria, tétano, sarampo, rubéola e caxumba.
Para as gestantes, existem três vacinas disponíveis no Calendário Nacional de Vacinação: hepatite B, dupla adulto e dTpa, que protege, além da hepatite, contra difteria, tétano e coqueluche.
Conheça algumas doenças preveníveis pela vacinação:
* A poliomelite é doença contagiosa, provocada por vírus e caracterizada por paralisia súbita, geralmente nas pernas. A transmissão ocorre pelo contato direto com pessoas ou contato com fezes de pessoas contaminadas, ou ainda contato com água e alimentos contaminados.
* O tétano é uma infecção, causada por uma toxina produzida pelo bacilo tetânico, que entra no organismo por meio de ferimentos ou lesões na pele (tétano acidental) ou pelo coto do cordão umbilical (tétano neonatal ou mal dos sete dias) e atinge o sistema nervoso central. Caracteriza-se por contrações e espasmos, dificuldade em engolir e rigidez no pescoço.
* A coqueluche, também conhecida como tosse comprida, é uma doença infecciosa, que compromete o aparelho respiratório (traqueia e brônquios) e se caracteriza por ataques de tosse seca. É transmitida por tosse, espirro ou fala de uma pessoa contaminada. Em crianças com menos de seis meses, apresenta-se de forma mais grave e pode levar à morte.
* A Haemophilus influenzae do tipo b é uma bactéria que causa um tipo de meningite (inflamação das meninges, membranas que envolvem o cérebro), sinusite e pneumonia. A doença mais grave é a meningite, que tem início súbito, com febre, dor de cabeça intensa, náusea, vômito e rigidez da nuca (pescoço duro). A meningite é uma doença grave e pode levar à morte.
* O sarampo é uma doença muito contagiosa, causada por um vírus que provoca febre alta, tosse, coriza e manchas avermelhadas pelo corpo. É transmitida de pessoa a pessoa por tosse, espirro ou fala, especialmente em ambientes fechados. Facilita o aparecimento de doenças como a pneumonia e diarreias e pode levar à morte, principalmente em crianças pequenas.
* A rubéola é uma doença muito contagiosa, provocada por um vírus que atinge principalmente crianças e provoca febre e manchas vermelhas na pele, começando pelo rosto, couro cabeludo e pescoço, se espalhando pelo tronco, braços e pernas. É transmitida pelo contato direto com pessoas contaminadas.
* A caxumba é uma doença viral, caracterizada por febre e aumento de volume de uma ou mais glândulas responsáveis pela produção de saliva na boca (parótida) e, às vezes, de glândulas que ficam sob a língua ou a mandíbula (sub-linguais e sub-mandibulares). O maior perigo é a caxumba "descer", isto é, causar inflamação dos testículos principalmente em homens adultos, que podem ficar sem poder ter filhos depois da infecção. Pode causar ainda inflamação dos ovários nas mulheres e meningite viral. É transmitida pela tosse, espirro ou fala de pessoas infectadas.
* A febre amarela é uma doença infecciosa, causada por um vírus transmitido por vários tipos de mosquito. O Aedes Aegypti pode transmitir a doença, causando a febre amarela urbana, o que, desde 1942, não ocorre no Brasil. A forma da doença que ocorre no Brasil é a febre amarela silvestre, que é transmitida pelos mosquitos Haemagogus e o Sabethes, em regiões fora das cidades. É uma doença grave, que se caracteriza por febre repentina, calafrios, dor de cabeça, náuseas e leva a sangramento no fígado, no cérebro e nos rins, podendo, em muitos casos, causar a morte.
* A difteria é causada por um bacilo, produtor de uma toxina que atinge as amídalas, a faringe, o nariz e a pele, onde provoca placas branco-acinzentadas. É transmitida, por meio de tosse ou espirro, de uma pessoa contaminada para outra.
* A hepatite B é uma doença causada por um vírus e que provoca mal-estar, febre baixa, dor de cabeça, fadiga, dor abdominal, náuseas, vômitos e aversão a alguns alimentos. O doente fica com a pele amarelada. A Hepatite B é grave, porque pode levar a uma infecção crônica (permanente) do fígado e, na idade adulta, levar ao câncer de fígado.
Fonte: Diário da Saúde

Decola primeiro avião elétrico tripulado brasileiro

O avião elétrico é silencioso, com o ruído característico apenas da hélice. [Imagem: EBC/Agência Brasil]
Avião elétrico brasileiro
A Itaipu Binacional e a empresa ACS Aviation, de São José dos Campos (SP), colocaram no ar, nesta terça-feira (23), o primeiro avião elétrico tripulado da América Latina.
O voo inaugural e a apresentação oficial da aeronave, batizada de Sora-e, ocorreram na pista do aeroporto da binacional, localizada na margem paraguaia da usina, no município de Hernandarias.
O voo de testes durou apenas cinco minutos, seguindo um roteiro criterioso de testes para novas aeronaves.
O Sora-e tem 8 metros de envergadura (de uma ponta a outra da asa) e peso total de 650 quilos.
Desenvolvido pelas equipes técnicas da Itaipu e da ACS, com financiamento da Finep, o avião elétrico está equipado com dois propulsores Enrax, de 35 kW cada um, fabricados na Eslovênia, e seis conjuntos de baterias de íons de lítio poliméricas, que alcançam uma tensão de 400 volts.
O Sora-e pode levar duas pessoas (piloto e passageiro) e tem autonomia de 45 minutos de voo, expansível para uma hora e meia, com velocidade de cruzeiro de 190 km/h e velocidade máxima de 340 km/h.
A estrutura do avião é de fibra de carbono e a hélice foi fabricada nos Estados Unidos, pela empresa Craig Catto, atendendo as especificações do projeto.
Decola primeiro avião elétrico tripulado da América Latina
O Sora-e é o primeiro projeto aeronáutico do Programa de Veículos Elétricos da Itaipu Binacional. [Imagem: EBC/Agência Brasil]
Programa Veículo Elétrico
De acordo com Celso Novais, coordenador do Programa Veículo Elétrico da Itaipu Binacional, o interesse de Itaipu no projeto é aprofundar os estudos sobre materiais compostos usados no setor aeronáutico, considerados fundamentais para a redução do peso dos veículos elétricos - quanto menor o peso do veículo, maior a sua autonomia.
"O avião é um meio de transporte em que o peso é determinante. Por isso, esse know-how nos ajudará a encontrar soluções para melhorar a autonomia dos nossos veículos elétricos", comentou.
O Programa Veículo Elétrico da Itaipu já montou mais de 80 veículos elétricos de solo, a metade incorporada à própria frota e o restante destinado a parceiros do programa. Os protótipos incluem carros de passeio, caminhões, utilitários e ônibus, todos equipados com motor elétrico.
A empresa ainda mantém uma oficina para montagem dos compactos elétricos modelo Twizy, em parceria com a Renault, e trabalha no projeto da bateria de sódio nacional, com recursos da Finep e parceria com o Parque Tecnológico Itaipu (PTI). Outro projeto é na área de armazenamento de energia, em conjunto com o Exército brasileiro.
Há um ano, Itaipu também desenvolve o Programa de Mobilidade Inteligente (Mob-i), em parceria com o Centro para a Excelência e Inovação na Indústria Automóvel (Ceiia), de Portugal. O esforço já conta com projetos-piloto em Foz do Iguaçu, Curitiba e Brasília.
Além de carros elétricos, o Mob-i conta com postos para abastecimento (os eletropostos) e utiliza a plataforma Mobi.me, aplicativo que fornece em tempo real indicadores como o dinheiro poupado em abastecimento, o CO2 que deixou de ser emitido na atmosfera e o número de quilômetros rodados.
Matéria colhida na íntegra em Inovação Tecnológica

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Para perder "peso", "pese-se" diariamente!

Se você deseja perder peso e manter-se nos novos níveis, aqui vai uma estratégia simples e que funciona: suba na balança todos os dias e anote os resultados.[Imagem: Wikimedia Commons/SieBot]
Se você deseja perder peso e manter-se nos novos níveis, aqui vai uma estratégia simples e que funciona: suba na balança todos os dias e anote os resultados.
Um estudo de dois anos mostrou que pesar-se diariamente e monitorar os resultados em um gráfico ajuda tanto a perder peso, quando a manter o novo peso, especialmente para os homens.
Os voluntários que perderam peso no primeiro ano do programa foram capazes de manter o peso perdido ao longo do segundo ano.
Isto é importante porque os estudos mostram que cerca de 40% do peso perdido com qualquer tratamento dietético é recuperado em um ano, e quase 100% da perda de peso é recuperada dentro de cinco anos.
"Você só precisa de uma balança de banheiro e de uma planilha ou mesmo um pedaço de papel quadriculado," disse David Levitsky, professor de nutrição e psicologia da Universidade de Cornell (EUA).
O método "força você a estar ciente da conexão entre sua alimentação e seu peso," disse Levitsky. "A instrução mais comum que se ouve é que você não deve pesar-se diariamente, mas é justamente o contrário,"
Contudo, houve uma diferença significativa entre homens e mulheres, com as mulheres perdendo peso no programa, mas muito menos do que os homens.
"Parece que funciona melhor para os homens do que para as mulheres, por razões que não conseguimos descobrir ainda", disse Levitsky.
Fonte: Diário da Saúde

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Galáxia "perdida no espaço" está estranhamente isolada

Imagem: NASA/ESA/D. Calzetti/H. Ford
Galáxias gostam de companhia, e o mais comum é encontrá-las em grupos, formando os chamados aglomerados galácticos.
Mas este não é o caso da NGC 6503, uma galáxia "perdida no espaço".
A NGC 6503 está estranhamente isolada, no interior de uma região do espaço chamado "Vazio Local", uma porção do espaço com pelo menos 150 milhões de anos-luz, no interior do qual não se encontra praticamente nada.
A galáxia perdida está apenas a 18 milhões de anos-luz de nós - portanto na borda do Vazio Local - e foi fotografada pelo telescópio Hubble na constelação do Dragão, bem próxima do pólo norte celeste.
Ela mede cerca de 30.000 anos-luz, um terço do tamanho da Via Láctea, e não é muito difícil localizá-la, já que praticamente não há nenhum outro corpo brilhante nas suas proximidades.
Esta imagem é uma composição de duas fotos, tomadas com filtros diferentes.
A coloração vermelha deriva de uma exposição de 28 minutos através de um filtro projetado para captar a emissão do gás de hidrogênio, revelando as brilhantes nuvens de gás associadas com as regiões de formação estelar.
A outra imagem foi gerada por uma exposição de 12 minutos através de um filtro de infravermelho próximo, convertido para cor azul para contraste. Esta imagem é mais recente, capturada cerca de 10 anos depois da primeira.
Fonte: Inovação Tecnológica

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Metodologia Entre Jovens - Matemática na escola Santa Tereza

Foto: Prof. Paulo Robson
Durante essa semana, foi iniciado junto aos alunos do 3º ano da escola Santa Tereza, a implementação da metodologia "Entre Jovens - Matemática". Os professores responsáveis pela metodologia na disciplina de matemática são Adeilton Silva, Adevanilton Silva, José Valdo e Paulo Robson, que apesar de professor de Física, engajou-se no projeto.

No decorrer do mês de junho, os docentes participaram de um curso de formação na temática, disponibilizado pelo Instituto Unibanco, através de uma plataforma de ensino on-line. Algumas atividades de estudo do material disponibilizado já vem sendo realizado pelos professores.

A primeira atividade desenvolvida com os alunos trata-se de uma oficina de aprendizagem com o tema "Números Naturais e Inteiros", tendo como material base o guia do aluno para 1ª série do ensino médio. 

A metodologia Entre Jovens faz parte do programa Jovem de Futuro e foi formulada estrategicamente com o objetivo de contribuir para que os alunos do ensino médio melhorem seu desempenho em língua portuguesa e matemática e, consequentemente, nas demais disciplinas.

Os esforços são voltados para que o jovem possa concluir o ensino médio com desempenho melhorado e ter uma inserção positiva no mercado de trabalho e em uma possível carreira acadêmica.

"Estamos utilizando o material disponibilizado para os alunos de 1º ano nas turmas de 3º ano por entender a importância de retomar alguns conhecimentos prévios necessários para a continuidade de alguns conteúdos trabalhados nos terceiros anos. Os alunos tem demonstrado dificuldades em conteúdos que são trabalhados no ensino fundamental e com essas oficinas temos a certeza de que conseguiremos superar parte delas", afirmou o professor Adeilton sobre a realização das oficinas com as turmas de terceiro ano, que conta com o apoio do professor de Física, Paulo Robson, na organização dos trabalhos.

Os professores José Valdo e Adevanilton Silva, tem realizado atividades similares nas turmas de primeiros anos.

Texto: Prof. Paulo Robson e Adeilton Silva.

Descoberta de hádrons exóticos amplia entendimento da matéria

Imagem do Google
Modelo dos quarks
Proposto independentemente pelos físicos norte-americanos Murray Gell-Mann e George Zweig em 1964, o modelo dos quarks completou meio século no ano passado. Mas, apesar de sua longevidade, novos desenvolvimentos desse modelo têm ocorrido, tanto no domínio experimental como no teórico.
Uma dessas novidades foi a descoberta de um objeto constituído por quatro quarks, denominado Z+ (4430). Encontrado pela primeira vez em 2008, no Instituto KEK (High Energy Accelerator Research Organization), no Japão, sua existência foi convincentemente confirmada em 2014 no LHC (Large Hadron Collider), o Grande Colisor de Hádrons localizado na fronteira franco-suíça.
O número 4430 se refere à massa do objeto, em unidades de megaelétrons-volt pela velocidade da luz ao quadrado (MeV/c2). Comparativamente, a massa do próton é de aproximadamente 938,3 MeV/c2. E, ao contrário do próton, cuja meia-vida é superior a 2,1×1029 anos (quase 20 vezes a idade estimada do Universo), o Z+ (4430) sobrevive por apenas uma diminuta fração de segundo.
O grande interesse que a partícula suscita decorre de que não há outra explicação para ela que não seja a de uma composição exótica de quatro quarks.
Bárions e mésons
As composições usuais são de três quarks, formando os bárions (categoria a que pertencem os prótons e os nêutrons), ou de um par quark-antiquark, formando os mésons (como o píon, ou méson pi, previsto teoricamente pelo japonês Hideki Yukawa, em 1935, e descoberto experimentalmente pelo brasileiro César Lattes, em 1947).
Mas composições exóticas, que antes eram apenas uma possibilidade teórica, começaram a ser encontradas nos aceleradores de partículas ao longo da última década.
"O Z+ (4430) pode ser tanto uma molécula composta por dois mésons (cada qual constituído por um par quark-antiquark) quanto um tetraquark propriamente dito (constituído por quatro quarks soltos, confinados em um determinado volume devido à interação forte)", disse Marina Nielsen, professora titular e chefe do Departamento de Física Experimental do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (IF-USP).
Outros hádrons exóticos, descobertos anteriormente, ainda têm sua estrutura sujeita a controvérsias. É o caso do X (3872), encontrado em 2003 no Instituto KEK, que também parece ser composto por quatro quarks, organizados na forma de molécula de mésons ou de tetraquark.
Porém, pelo fato de ser eletricamente neutro, isso não pode ser dito com segurança. E alguns pesquisadores afirmam que se trata apenas de um charmônio, um méson formado por dois quarks bastante massivos, o charm e o anticharm.
"Mas o caso do Z+ (4430) não dá margem a dúvidas. Ele tem carga elétrica. E, para isso, além do charm e do anticharm, precisa conter também um up e um antidown", explicou Nielsen.
Cromodinâmica quântica
A interpretação da natureza do X (3872) e de outros hádrons exóticos encontrados posteriormente constitui um desafio para os físicos que se ocupam da cromodinâmica quântica (QCD, de Quantum chromodynamics), a teoria que trata dos quarks e de suas interações.
Nielsen e seu colega Fernando Silveira Navarra, também do IF-USP, participam de uma rede internacional dedicada ao assunto, o Quarkonium Working Group(QWG), um grupo de trabalho que reúne quase 70 pesquisadores das principais universidades do mundo.
Em 2011, esse grupo internacional produziu um artigo, publicado no European Physical Journal, que se tornou referência na área, tendo recebido mais de 700 citações em artigos especializados: Heavy quarkonium: progress, puzzles, and opportunities.
Os pesquisadores da USP tiveram expressiva participação nesse trabalho. "Um dos métodos utilizados para fazer cálculos na área são as chamadas 'regras de soma da cromodinâmica quântica' (QCDSR, de Quantum Chromodynamics Sum Rules), com as quais trabalhamos há vários anos. Com o auxílio desse método, pudemos avançar na compreensão dos estados exóticos", disse Navarra.
"Alguns deles podem ser melhor entendidos como tetraquarks; outros como mésons de quarks massivos, a exemplo do charmônio; outros ainda como uma mistura quântica de charmônio e tetraquarks", detalhou o pesquisador.
A expressão "mistura quântica" significa que a função de onda associada ao objeto em questão possui duas componentes, uma que descreve o charmônio e outra que descreve o tetraquark. E que, em um número grande de observações, o objeto será observado ora como uma coisa ora como outra, conforme certa distribuição probabilística.
"A proliferação de novos estados criou uma situação de certa forma parecida com a que havia antes de Gell-Mann e Zweig proporem o modelo de quarks: várias partículas aparentemente sem conexão umas com as outras, desafiando os pesquisadores a agrupá-las segundo algum critério. Em relação a isso, também demos nossa contribuição, mostrando que certos estados podem ser corretamente interpretados como excitações de outros", disse Navarra.
Energias de outro mundo
O cenário agora considerado simples, constituído por bárions (três quarks) e mésons (quark-antiquark), aos quais os físicos já estavam habituados, correspondia aos patamares de energia do mundo cotidiano ou àqueles alcançados até recentemente nos laboratórios.
Mas, à medida que novos equipamentos capazes de alcançar estados de energia cada vez mais altos são construídos, objetos exóticos tendem a se multiplicar, exigindo novos esforços de interpretação teórica.
"Essas novas descobertas conferem, de certa forma, um aval para a cromodinâmica quântica. Porque essa teoria estabelece as configurações de quarks que podem existir e aquelas que não podem. As mais simples são a tríade de quarks e o par quark-antiquark", disse Nielsen.
"Mas outras configurações, mais complexas, também são possíveis. E há um dito famoso na mecânica quântica: o que não é proibido tem que existir. O que estamos conseguindo agora, graças aos novos patamares de energia alcançados em aceleradores como o LHC, é observar outros estados possíveis", disse.
Texto colhido em: Inovação Tecnológica

Estereótipos raciais alteram como você ouve as pessoas

Imagem do Google
Os estereótipos raciais e as expectativas podem afetar de maneira inesperada e forte a forma como nos comunicamos e compreendemos os outros.
Bastou que as pessoas envolvidas no estudo "parecessem" ser diferentes, para que os outros voluntários se mostrassem influenciados.
A tarefa consistia em pedir aos voluntários que transcrevessem frases pré-gravadas que eram reproduzidas em meio a um ruído padrão.
As sentenças foram gravadas por 12 pessoas nativas do Canadá, falantes naturais de inglês. Metade dessas pessoas tinha ascendência branca, e metade ascendência chinesa - todos nasceram e foram criados em Richmond, que fica ao sul de Vancouver.
As frases pré-gravadas foram então reproduzidas para um grupo maior de voluntários, acompanhadas por fotos das pessoas que haviam gravado as frases ou por uma imagem de três cruzes.
No geral, os voluntários - todos igualmente canadenses - acharam mais difícil entender as frases ditas pelos canadenses de aparência chinesa do que aquelas ditas pelos canadenses brancos.
Contudo, quando a tarefa era repetida - mesmo falante e mesmo ouvinte - mas sem que a foto do falante fosse mostrada, a dificuldade de entendimento desaparecia, e os voluntários afirmavam ter a mesma dificuldade em entender todas as frases de todos os falantes.
Também foi pedido aos voluntários para avaliar a força do sotaque dos falantes.
O resultado se repetiu: os canadenses de origem chinesa foram associados com um sotaque estrangeiro, mas o efeito igualmente desapareceu quando as fotos não foram mostradas.
"Esta pesquisa traz à luz nossos preconceitos internos, e o papel da experiência e dos estereótipos, na forma como nós ouvimos uns aos outros," comentou Molly Babel, da Universidade British Columbia, idealizadora do estudo.
Fonte: Diário da Saúde

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Nutrição e alimentação: "Coma isto" é melhor do que "Não coma aquilo"

Ao projetar mensagens sobre nutrição e boa alimentação para a população, é melhor não seguir o conselho dos especialistas, que tendem a gostar mais das mensagens negativas.[Imagem: Daniel Miller]
Mensagens positivas
Mensagens negativas, do tipo "Não faça isto" ou "Não coma aquilo" não funcionam para a maioria de nós.
Por exemplo, dizer a seu filho para comer uma maçã para que ele se mantenha saudável vai funcionar melhor do que dizer-lhe para não comer um salgadinho porque isso irá torná-lo menos saudável.
A conclusão é da equipe do professor Brian Wansink, da Universidade de Cornell (EUA), cujos estudos comprovaram que focar no "Faça isto" é melhor do que focar no "Não faça aquilo".
Estes resultados colocam em dúvida a eficácia de muitas campanhas de saúde pública, geralmente usando uma abordagem de medo para tentar convencer a população a comer melhor ou praticar mais exercícios físicos, dizem os pesquisadores.
Ou seja, o governo e as entidades ligadas à saúde fariam melhor ressaltando os benefícios de comer alimentos saudáveis, o que é mais eficaz do que lançar advertências contra os efeitos nocivos do consumo dos alimentos não-saudáveis.
Não chame os especialistas
Os pesquisadores analisaram 43 estudos internacionais que analisaram os efeitos de mensagens nutricionais negativas ou positivas. As mensagens positivas funcionaram bem de forma consistente quando comparadas às mensagens negativas.
De forma bastante interessante, as mensagens negativas tendem a funcionar bem com os especialistas, como nutricionistas e médicos.
Para o público em geral, contudo, as mensagens foram melhor recebidas quando lhes era dito quais alimentos são mais saudáveis e por que eles são bons.
A mensagem final do estudo é: ao projetar mensagens sobre nutrição e boa alimentação para a população, é melhor não seguir o conselho dos especialistas, que tendem a gostar mais das mensagens negativas, que não terão o efeito esperado junto ao público.
Matéria colhida na íntegra em: Diário da Saúde

USP lidera ranking das melhores universidades da América Latina

Imagem do Google
A Universidade de São Paulo (USP) voltou a liderar o ranking das melhores universidades da América Latina publicado pela Quacquarelli Symonds (QS), empresa britânica especializada em avaliação educacional.
A USP havia perdido a liderança em 2014 para a Pontificia Universidad Católica de Chile (UC).
Na lista deste ano, o segundo lugar ficou com a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e há outras três instituições brasileiras entre as 10 melhores: a Universidade Federal do Rio de Janeiro (URFJ), que ficou em 5º lugar, a Unesp ficou em 8º e a Universidade de Brasília (UnB) ficou em 10º.
Ranking QS para a América Latina
  1. USP (Universidade de São Paulo
  2. Unicamp
  3. Universidad Catolica de Chile
  4. Universidad de Chile
  5. UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro)
  6. Univ. Nacional Autónoma de México
  7. Universidad de Los Andes (Colômbia)
  8. Unesp
  9. Inst. Tecnológico y de Estudios Superiores de Monterrey (México)
  10. UnB (Universidade de Brasília)
Como em anos anteriores, o Brasil continua a dominar o ranking regional, com 17 instituições entre as 50 melhores.
Um comunicado da QS ressaltou o desempenho "particularmente impressionante" da Universidade de Brasília, que saltou sete posições no ranking deste ano.
O avanço da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e da Universidade Federal de Santa Catarina também foram destacados. Ambas ganharam 17 posições e saltaram das posições 40º e 41º, para 23º e 24º, respectivamente.
O instituto também deu destaque para o fato de nove entre as 10 melhores instituições no quesito produtividade, ou seja, estudos publicados.
No entanto, o Brasil teve um desempenho inexpressivo no que concerne o impacto dessas pesquisas, que diz respeito ao número de vezes que esses estudos foram citados por outros artigos publicados.
Os primeiros lugares do ranking mundial são ocupados por, respectivamente, MIT (com 11 mil alunos), Cambridge (18 mil), Imperial College (14 mil), Harvard (21 mil), Oxford (22 mil), enquanto a USP tem mais de 90 mil estudantes.
Fonte: Inovação Tecnológica