>
Olá, seja muito bem-vindo a esse ambiente! Espero que ele possa atender suas expectativas!

domingo, 6 de maio de 2012

Astrônomos flagram quatro fins do mundo

Durante bilhões de anos, tudo o que havia era um tranquilo sistema planetário.
(Imagem: Mark A. Garlick/University of  Warwick)
Sol Vermelho

Astrônomos flagraram quatro estrelas anãs brancas destruindo seus próprios planetas.

O fenômeno pode ser um exemplo do que acontecerá com o próprio Sistema Solar.

Conforme estrelas como o nosso Sol se aproximam do final de suas vidas, elas se tornam gigantes vermelhas, expandindo-se para muito além de suas dimensões usuais.

Embora ainda não esteja claro se nosso futuro "Sol Vermelho" será capaz de engolir a Terra, é certo que isso acontecerá com Vênus e Mercúrio.

Pode ser que a Terra saia "ilesa", apenas com sua superfície totalmente tostada - sem vida e sem água, certamente.


Restos do fim do mundo

Com o esgotamento do hidrogênio da estrela,
ela torna-se uma anãvermelha, engolindo
seus planetas mais próximos e provocando
turbulências que podem levar os outros
a se entrechocarem.
(Imagem: Mark A. Garlick/
University of  Warwick)
Não foi o que aconteceu com as estrelas agora observadas por uma equipe da Universidade de Warwick, no Reino Unido.

Eles identificaram quatro anãs brancas cercadas por poeira produzida por corpos planetários despedaçados.

O mais interessante é que essa poeira tem muitas semelhanças com a composição da Terra.

Os elementos mais abundantes na poeira em torno dessas quatro anãs brancas são oxigênio, magnésio, ferro e silício - quatro elementos que compõem cerca de 93% da Terra.

Uma observação ainda mais significativa é a de que este material também contém uma proporção extremamente baixa de carbono, muito semelhante à Terra e outros planetas rochosos que orbitam mais perto do nosso Sol.

Fim de quatro mundos
Este é o quadro que os astrofísicos observaram
agora, um autêntico resto do fim do mundo,
com uma poeira com composição muito
 similar à da Terra.
(Imagem: Mark A. Garlick/
University of  Warwick)

Esta é a primeira vez que proporções tão baixas de carbono foram detectadas nas atmosferas de anãs brancas poluídas por detritos.

Isto é um indício muito claro de que essas estrelas tinham pelo menos um exoplaneta rochoso, destruído por elas próprias.

Ou seja, o que os astrofísicos encontraram são os restos do fim de pelo menos quatro mundos.

Fonte: Inovação Tecnológica

Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Página inicial

2 comentários:

  1. estas estrelas podem nos matar,eu sei,mais quem nao acha que o homem nao vai ter a capacidade de destruir a estrela eu nao tenho medo porque um dia todos nos vamos morrer,o sol E UMA ESTRELA UM DIA ELE SE TORNARÁ UMA SUPERNOVA NAO MSM BJOS
    DE MARIA FERNANDA UMA PEQUENA GRANDE MINI ASTRONOMA
    OBS:pequena grande astronoma e porque so tenho 10 anos

    ResponderExcluir
  2. Não há motivos para temermos, esse processo leva bilhões de anos.

    Muito obrigado pela participação Maria Fernanda.

    ResponderExcluir

Com seus comentários, você ajuda a construir esse ambiente. Sempre que opinar sobre as postagens, procure respeitar a opinião do outro.

Muito obrigado por participar de nosso Blog!

Abraços!

Visitantes no Globo

On line

Total de visualizações

Arquivo do blog

Mais visualizadas do mês

Seguidores