>
Olá, seja muito bem-vindo a esse ambiente! Espero que ele possa atender suas expectativas!

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Inventado curativo que sai da pele sem dor

A força adesiva do curativo pode ser controlada alterando a quantidade e a espessura das linhas traçadas a laser.[Imagem: Bryan Laulicht]

Puxa que não dói
Para fazer bem o seu trabalho, os curativos precisam ficar firmes no lugar.
Isso faz com que as bandagens adesivas tenham sempre um efeito colateral: a dor na hora de retirá-las.
Logo isso não será mais problema, graças a um curativo que cola tão bem na pele quanto os melhores no mercado, mas que sai sem dor.
Peles sensíveis
Pode-se argumentar que a dor da retirada de um curativo não é assim tão forte, e que é logo esquecida.
Mas o problema pode ser grave para bebês recém-nascidos e para idosos, cujas peles frágeis sofrem ferimentos reais e duradouros quando os esparadrapos são retirados.
"É uma demanda gigantesca que nunca foi atendida," diz o criador do curativo que sai sem dor, o Dr. Jeffrey Karp, do Brigham and Women's Hospital (EUA).
Camada a laser
O segredo do esparadrapo sem dor está em uma camada intermediária, entre o polímero externo de proteção e a camada de adesivo.
Os pesquisadores recobriram o lado que entra em contato com o adesivo com uma fina camada de silicone. Isso faz com que a camada solte-se tão facilmente quanto aquela película que vem protegendo materiais autoadesivos.
A camada de silicone recebe uma malha de traços a laser, que expõem parte do polímero de proteção, permitindo que ele entre em contato com o adesivo e fique firme no lugar.
A força adesiva do curativo pode ser controlada alterando a quantidade e a espessura das linhas traçadas a laser.
Curativo sem dor
Quando o curativo é retirado, o adesivo fica na pele, evitando a dor.
Por sua vez, o adesivo pode ser recoberto com talco, deixando que ele se solte da pele, aos poucos e naturalmente, sem dor.
Os pesquisadores agora estão tentando obter aprovação das autoridades de saúde para que o curativo sem dor possa chegar ao mercado.
Fonte: Diário da Saúde
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Com seus comentários, você ajuda a construir esse ambiente. Sempre que opinar sobre as postagens, procure respeitar a opinião do outro.

Muito obrigado por participar de nosso Blog!

Abraços!

Visitantes no Globo

On line

Total de visualizações

Arquivo do blog

Mais visualizadas do mês

Seguidores