>
Olá, seja muito bem-vindo a esse ambiente! Espero que ele possa atender suas expectativas!

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Estrelas hipervelozes poderão escapar da Via Láctea

Esses sóis turbinados estão se movendo a uma velocidade de cerca de 1,6 milhão de km por hora em relação à galáxia. [Imagem: Julie Turner/Vanderbilt University]
Mudando de galáxia
Astrônomos descobriram uma nova classe de estrelas solitárias movendo-se rápido o suficiente para escapar do puxão gravitacional da Via Láctea.
Em 2010, o telescópio Hubble fotografou uma estrela hiperveloz expulsa por um buraco negro. Também já se sabia que estrelas em hipervelocidade podem ser ejetadas da galáxia - calcula-se que isso ocorra quando elas atinjam velocidades acima de um milhão de quilômetros por hora.
Mas os astrônomos dizem que agora encontraram algo diferente.
"Essas novas estrelas em hipervelocidade são muito diferentes das que foram descobertas anteriormente," garante Lauren Palladino, da Universidade Vanderbilt, nos Estados Unidos.
O mecanismo mais aceito até agora para explicar a velocidade tremenda dessas estrelas é que elas teriam interagido com o buraco negro no centro da galáxia.
"As estrelas em hipervelocidade já conhecidas são grandes estrelas azuis e parecem ter-se originado do centro galáctico. As nossas novas estrelas são relativamente pequenas - mais ou menos do tamanho do Sol - e a parte surpreendente é que nenhuma delas parece vir do núcleo galáctico," completa ela.
Esses sóis turbinados estão se movendo a uma velocidade de cerca de 1,6 milhão de km por hora em relação à galáxia: mais do que o suficiente para escapar de sua influência gravitacional.
"Nenhuma destas novas estrelas em hipervelocidade vem do centro, o que implica que existe uma nova classe inesperada de estrela em hipervelocidade com um mecanismo de ejeção diferente," concluem os astrônomos.
Agora eles vão tentar criar cenários e hipóteses para identificar esse mecanismo.
O mecanismo mais aceito até agora para explicar a velocidade tremenda dessas estrelas é que elas teriam interagido com o buraco negro no centro da galáxia. [Imagem: Lauren E. Palladino]
Cartão vermelho
O cenário típico traçado para explicar a expulsão de estrelas pela galáxia envolve um binário de estrelas que entram no raio de ação do buraco negro central. Conforme uma delas espirala em direção ao buraco negro, sua companheira é arremessada para longe com uma velocidade tremenda.
Até agora já se conhecem 18 estrelas azuis gigantes em hipervelocidade que poderiam ter sido arremessadas por esse mecanismo.
Fonte: Inovação Tecnológica
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Com seus comentários, você ajuda a construir esse ambiente. Sempre que opinar sobre as postagens, procure respeitar a opinião do outro.

Muito obrigado por participar de nosso Blog!

Abraços!

Visitantes no Globo

On line

Total de visualizações

Arquivo do blog

Mais visualizadas do mês

Seguidores