>
Olá, seja muito bem-vindo a esse ambiente! Espero que ele possa atender suas expectativas!

sexta-feira, 22 de junho de 2018

Café ajuda equipes a trabalharem em conjunto

O café antes do trabalho é bem mais do que uma convenção social. Imagem: OSU
Um bom trabalho em equipe deve começar com uma xícara de café para todos.

Se não parece novidade, um grupo de psicólogos da Universidade do Estado de Ohio (EUA) mediu o quanto a xícara de café no começo da reunião faz diferença.

Após a dose de cafeína quente, as pessoas passaram a dar mais opiniões positivas sobre o desempenho do seu grupo em uma tarefa - e sobre a sua própria contribuição.

Um segundo experimento mostrou que as pessoas passaram a falar mais durante uma tarefa em equipe quando estavam sob a influência do café com cafeína - mas elas também se concentraram mais na tarefa do que seus colegas que beberam café descafeinado.

"Nós descobrimos que o aumento do estado de alerta foi o que levou aos resultados positivos para o desempenho da equipe. De forma nada surpreendente, as pessoas que bebiam café com cafeína tendiam a ficar mais alertas," resumiu o professor Amit Singh, que fez os experimentos juntamente com Vasu Unnava e Rao Unnava, da Universidade da Califórnia em Davis.

Embora muitos estudos já tenham analisado como a cafeína afeta o desempenho individual, este é o primeiro a examinar o impacto que a bebida tem sobre equipes em condições de trabalho.

O resultado interessante foi que as pessoas que se classificaram como mais alertas - bebessem café com cafeína ou não - também tendiam a dar notas mais altas a si mesmas e aos membros do grupo.

Isto sugere que qualquer intervenção que aumente o estado de alerta também pode produzir resultados semelhantes. Ou seja, talvez o café possa ser substituído por exercícios antes da tarefa. A equipe afirma que pretende aferir isso a seguir.

Os resultados foram publicados no Journal of Psychopharmacology.

Matéria publicada originalmente em: Diário da Saúde
Compartilhar:

sexta-feira, 15 de junho de 2018

ENEM 2017 - Potência Elétrica

No manual fornecido pelo fabricante de uma ducha elétrica de 220V é apresentado um gráfico com a variação da temperatura da água em função da vazão para três condições (morno, quente e superquente). Na condição superquente, a potência dissipada é de 6500 W.
Considere o calor específico da água igual a 4200 J/(kg C) e a densidade da água igual a 1 kg/L.
 
Com base nas informações dadas, a potência na condição morno corresponde a que fração da potência na condição superquente?
 
A) 1/3. 
B) 1/5. 
C) 3/5. 
D) 3/8. 
E) 5/8. 
 
 
Resolução abaixo:
 
 
 
 
 
ALTERNATIVA: D 
 
Resolução: Equipe Objetivo 
Compartilhar:

terça-feira, 5 de junho de 2018

ENEM 2017 - Interferência de Ondas Sonoras

O trombone de Quincke é um dispositivo experimental utilizado para demonstrar o fenômeno da interferência de ondas sonoras. Uma fonte emite ondas sonoras de determinada frequência na entrada do dispositivo. Essas ondas se dividem pelos dois caminhos (ADC e AEC) e se encontram no ponto C, a saída do dispositivo, onde se posiciona um detector. O trajeto ADC pode ser aumentado pelo deslocamento dessa parte do dispositivo. Com o trajeto ADC igual ao AEC, capta-se um som muito intenso na saída. Entretanto, aumentando-se gradativa mente o trajeto ADC, até que ele fique como mostrado na figura, a intensidade do som na saída fica praticamente nula. Desta forma, conhecida a velocidade do som no interior do tubo (320 m/s), é possível determinar o valor da frequência do som produzido pela fonte.



O valor da frequência, em hertz, do som produzido pela fonte sonora é
A) 3200
B) 1600
C) 800
D) 640
E) 400



Resolução nos comentários da postagem
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Página inicial

Visitantes no Globo

On line

Total de visualizações

Arquivo do blog

Mais visualizadas do mês

Seguidores